Antes que os sonhos deslizem,

Para o mar que não banha Belize,

Inspire-se ouvindo Elisa.

Talvez descubra também o que há por trás

Do sorriso de Monalisa.

 

Mas se quiser outro clima,

Pode se inspirar olhando para cima,

Onde está o deserto de Qetar.

Perdido sobre a imensidão do mar.

inspiração
Imagem: Imagem de 272447 por Pixabay

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Se não souber que mar seja esse,

Levante o peito para olhar.

Estufe o peito, de preferência.

 

Pois esse deserto tem influência

Abaixo, além ou acima dos olhos,

Por causa de sua abrangência.

 

Primeiro porque amedronta os olhos,

Que pode deixar a todos caolhos.

Deserto de boca sem portas, nem janela.

Curvatura onde não vejo sentinela.

 

Depois porque a vida entrou por ele.

Caso contrário, nasceu debaixo dele.

Esse deserto, de fato, é extraordinário,

Por causa do seu sedutor cenário.

 

Então levante os olhos para olhar,

Se a inspiração estiver a falhar.

Olhe atentamente para o deserto de Qetar.

Do tamanho das terras e as águas de todo o mar.

 

Inspire-se, pois, ouvindo Elisa.

Tão inspirador quanto o sorriso de Monalisa.

Mas, se atentar para Qetar,

A inspiração pode criar nova curvatura,

Novos projetos ou modelos,

Para o desenho que está a criar.

 

Quem sabe afastar a depressão,

Que possa estar severamente a assolar.

Verdadeira inspiração,

Pois de Qetar, durante o dia ou a noite,

Brota o sol, a lua e as estrelas.

Inspiração para viver, sonhar ou amar.

 

Brasília, DF, em 07 de agosto de 2020.

 

 

Inspire-se ouvindo Elisa. Poema de Flavio Di Fiorentina.

 

Imagem de 272447 por Pixabay

Os desertos da Chama e do Atacama.

Pandion.

Superar o medo do sol escuro.